capítulo 6

445 30 0
                                    

Sinceramente eu não sei o que eu fiz para a minha própria irmã me odiar tanto

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.


Sinceramente eu não sei o que eu fiz para a minha própria irmã me odiar tanto.

Enxugo as minhas lágrimas... morrendo de vergonha da atitude da minha irmã.

Mel: querida sinto muito por tudo que você passou.-Fala me abraçando.

Eu sinto tanta falta da mamãe...ela se foi quando a su tinha três meses...me dando a guarda da minha irmã.

Sônia e su é minha irmã por parte de mãe.O pai delas  foi embora assim que souber da doença da minha mãe...ela estava com seis meses de gravidez.

Eu: sinto tanta falta dela.-Falo abraçando mais ela.

Mel: eu sei quê ela está muito orgulhosa de você.-Fala acariciando o meu cabelo.

Eu: me desculpa pela a minha irmã ...estou tão envergonhada.-Falo sem jeito.

Apolo: você não tem quê ter vergonha de nada....agora beba um pouco de  água e tenta se acalmar .-Fala me entregando a água.

Eu bebo e me acalmo um pouco.Olho para ele ...ainda sem  acreditar que ele está bem na minha frente.

Apolo se tornou um homem muito bonito.Mesmo sem saber quê era ele ...o meu coração já sabia.

Ele me olha um pouco tímido...eu acho que ele está sem jeito por causa do acontecimento.

Eu: eu posso ter da um abraço?-Falo morrendo de vontade.

Apolo: é o quê eu mais quero... docinho.-Fala me abraçando.

Sinto quê ele cheira o meu cabelo ...me aconchega mais nos seus braços.

Apolo: mesmo sem saber quê você é minha sof...o meu coração já me dizia algo ... quê eu não conseguia intender até agora.-Fala me apertando mais...como se tivesse medo deu desaparecer.

Eu: senti tanto sua falta.

Apolo: eu também docinho...senti muito a sua falta.Eu te precisei tanto.

Eu: procurou?-Falo olhando para ele.

Apolo: sim...por muito tempo.

Eu encosto a minha cabeça no seu peito me aconchegando nele.

Depois que temos um tempo só nosso.Eu recebi  2000 pelo vestido da mel...e tirei a medida do Apolo.

Depois Apolo insistiu em me leva em casa.No começo eu não quis ...mas depois eu acabei aceitando.

Ele estaciona em frente a minha casa.

Eu: obrigado pela carona.

Apolo: sof...eu quero muito fica te vendo frequentemente.Eu sei quê a situação é estranha...mas eu quero muito fica perto de você.

Meu coração dispara com sua declaração.

Eu: posso ter perguntar uma coisa?

Apolo: o quê você quiser.

Eu: você teve alguma coisa com a minha irmã?-Ele faz uma cara quê eu já até sei sua resposta.

Apolo: sim.Depois de quiser dias que nos se conhecemos...e ficamos um uma semana... só rolou beijos.-Fala sem jeito.-Eu achei que ela era você...mas depois de um tempo...o meu coração me avisou quê tinha algo errado... então eu parei de sai com ela.Me descupa.

Sinto um pouco de ciúmes...mas não posso culpa o Apolo...ele é tão vítima quando eu.

Eu: você não tem culpa.Sim você pode me ver sempre quê você quiser.-Falo tímida.

Apolo: não diz isso docinho...se não vou querer vim aqui todo dia.-Fala me dando um sorriso sexy.

Eu: por mim você pode vim...desde quê você traga bombom.-Falo dando um beijo no seu rosto.Tenho quê entrar.

Apolo: ok recado dado.Boa noite docinho.

Eu entro em casa e vejo Amanda com a su vendo filme e comendo pipoca.

Eu: Amanda a Sônia está em casa?

Amanda: está no quarto dela.

Eu: eu vou fala com ela.-Falo indo para o quarto da Sônia.

Entro sem bater...e vejo ela saindo do banheiro.

Sônia: porque entrou no meu quarto sem bater?

Eu: igual você entrou no meu e pegou minha pulseira e se fez se passa por mim!-Falo gritando.

Ela arregala os olhos.

Sônia: eu não peguei nesse intuito...mas quando apareceu a oportunidade eu não joguei fora.-Mais como é sinica.

Eu: como pode fazer isso... não imagina a vergonha quê eu passei.Eu tenho vergonha de ser sua irmã!

Sônia: eu fiz e não me arrependo.Você viu como o Apolo é gostoso.-Fala com deboche.

Eu: você não presta... ainda bem que ele viu isso logo.-Falo com ódio.

Ela começa a rir.

Sônia: mas antes ele adorou se aproveita do meu corpinho.-Fala rindo.

Eu: deixa de ser mentirosa...ele disse que não teve nada com você!

Sônia: e você acreditou ...ele me deu até dinheiro.-Fala pegando o dinheiro na gaveta.

Eu: você é uma vagabunda... tudo isso foi por causa de dinheiro.Eu vou ter da dez minutos para você sai da minha casa!-Falo gritando.

Sônia: sua casa?-Fala rindo.

Eu: quem paga o aluguel sou eu ... então sim... minha casa.Dez minuto e nada mais...se não eu mesmos retiro você.-Falo saindo batendo a porta.

Volto para sala e a minha pequena corre para os meus braços assustada.

Eu sento com ela no meu colo.

Eu: princesa... já passou...eu estou bem.-Falo apertando ela nos meus braços.

Amanda: o que ouvi?

Conto tudo para a Amanda.

Amanda: Sempre soube quê ela não valia nada.

Essa hora a Sônia passa com as malas dela ...abrir a porta e leva para fora.Parece quê tem alguém esperando ela.

Ela pega tudo e sai...eu só respiro fundo.

Olho para su..e percebo quê ela dormiu no meu colo.

Eu: vou colocar ela na cama e já volto.

Coloco a minha pequena na Cama e volto para sala.

Eu: eu não sei se vou querer ver o Apolo de novo... depois do que a Sônia falou.

Amanda: e você acreditou...pela amor de Deus sof.

Eu: quê vim mora comigo?

Amanda: sério?

Eu: você é mais quê uma irmã para mim.-Ela se joga no sofá sorrindo.

Amanda: eu quero.

Eu: fico feliz . agora eu vou transformar o quarto da bagunça de um atelier...onde eu posso custura...e desenha.Eu vou conseguir realizar o meu sonho.

Amanda: eu venho mora aqui ...mas vou dividir o aluguel é a despesas.

Eu: agora é uma nova vida...eu você é su...as três mosqueteiras.

Comentem 📣
Votem ⭐
Beijos 😘














MEU PORTO SEGURO 4(CONTO)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora