Capítulo Único.

3K 355 530
                                    

Bilbo Bolseiro correu para ficar ao lado de Bofur, fazendo o possível para endireitar sua túnica anã emprestada. A empresa inteira se reuniu ao redor do estrado do trono, preparando-se para cumprimentar um delegado das Colinas de Ferro.

"Que bom que você se juntou a nós, Bilbo", brincou Bofur, dando uma cotovelada no hobbit.

"Eu me perdi de novo", ele retrucou. "Honestamente, por que vocês insistem em criar tantos túneis?" Ele olhou em direção à entrada da sala do trono. "Esses convidados devem ser muito importantes", disse ele, abaixando a voz. "Eu não deveria pensar que todos nós seriamos chamados para uma reunião assim."

"Muito bem, rapaz", respondeu Bofur. "Pelo que ouvi, lorde Enokur é um parente distante da esposa de Dain. Ele foi um dos poucos nobres que prestou ajuda financeira aos exilados após a Batalha de Azanulbizar."

"Você quer dizer que outros recusaram?"

Bofur encolheu os ombros. "Bem, essa batalha custou tantas vidas, e muitos a viram como um desperdício. Naturalmente, a família de Thorin assumiu a maior parte da culpa por liderar essa expedição."

"Ah", Bilbo assentiu. Ele se absteve de investigar mais, quando as portas de pedra estavam começando a se abrir e uma procissão formal avançou.

O anão à frente do grupo era alto (para sua espécie) e jovem; se Bilbo tivesse que adivinhar com base no que sabia sobre o tempo de vida deles, diria cerca de 120 anos. Seu cabelo era escuro, não muito diferente do de Thorin, no entanto, sua barba era um pouco mais longa, aproximadamente do mesmo comprimento que a de Dwalin, e entrançada em uma única trança tecida com fios de seda dourada. Ele usava túnicas de guarnição carmesim e dourada.

"Salve Thorin, rei sob a montanha! É uma honra vê-lo finalmente no seu direito de nascença!" Lorde Enokur parou ao pé do estrado e curvou-se, um sorriso amável em seu rosto e seus olhos escuros brilhando de excitação.

Thorin levantou-se e cumprimentou o nobre amigavelmente. Beijos, apertos de mão e cabeçadas foram trocados e, em seguida, o rei deu ao grupo um longo discurso de boas-vindas, do qual Bilbo se cansou depois de alguns momentos. Ele se importava profundamente com Thorin, mas costumava dizer mais do que o necessário para expressar sua opinião, especialmente durante as cerimônias. No momento em que a atenção de Bilbo voltou, ele descobriu que o assunto havia mudado. Thorin estava sentado em seu trono mais uma vez, e os membros da Companhia estavam se revezando, apresentando-se com uma breve descrição de seus papéis e realizações na busca.

"Dori, meu senhor, às suas ordens. Eu sou o filho mais velho de Lady Dagna. Sou um tecelão por profissão, mas, se puder ser tão ousado, posso ser considerado o mais forte da empresa. Na Batalha dos Cinco Exércitos, eu matei sessenta e quatro orcs e três trolls."

Houve murmúrios de apreciação impressionada por todos os convidados reunidos. Enokur assentiu e deu um pequeno passo para trás, afastando-se do intimidador irmão Ri.

"Eu sou Nori, meu senhor", continuou o irmão de Dori, parecendo caracteristicamente entediado. "Eu sou o segundo filho de Lady Dagna..."

Assim prosseguiu, até Bofur ser o último anão a oferecer introdução e serviço a Lorde Enokur.

Finalmente, foi a vez de Bilbo. Ele olhou para os outros, esperando uma dica de se ele deveria ou não realmente participar dessa cerimônia decididamente anã. Seus olhos encontraram os de Thorin, e ele reconheceu o carinho que brilhava ali, acompanhado por um sorriso encorajador.

nada como ciúmes para mudar as coisas ⋅ Thilbo, Baggishield ✓Onde as histórias ganham vida. Descobre agora