Borges- Sequestro pt.2

6.3K 299 50
                                    

-Entra no carro agora, 2m dirige lá- um garoto que não tinha ido com a nossa cara disse

Olhei desesperada pro Borges e ele fez um sinal de calma com a mão

Fomos empurrados pra dentro do carro e de lá subimos algum morro desses

Parece o Morro do Alemão, mas eu não sei bem tá de noite

Eu já tava soluçando no banco de trás
A gente não podia fazer nada, deve ter vários fuzil apontado pra nós

Depois de uns 21 minutos abriram o carro

-Bora bora- gritaram

Me puxaram pelo braço e subimos até uma casa lá do alto

Deixaram nós dois em um quarto pequeno, a única iluminação era a da rua

Tinha um colchão no chão

-Só queria ir pra casa- eu digo secando meu rosto

-Vem deita aqui- ele me chama

Borges sentou no colchão e eu apoiei a cabeça no colo dele

-Dorme aí vida- ele faz carinho no meu cabelo

-Vai ficar acordado?- o olho

-Não se preocupa comigo, só dorme-

[...]

Acordei no outro dia com alguém entrando no quarto

-Bora levanta garota- um homem diz com uma pistola na cintura

-Vão fazer oque com ela?- Borges levanta depois do garoto me pegar pelo braço

-Não interessa- ele grita

Fui sendo puxada até uma sala

Entrando lá tinha um cara sem camisa me olhando esquisito

Ele veio
Apertou minha bunda, meu peito, foi tirando minha blusa

Aquela mão nojenta passando pelo meu corpo me dá um embrulho no estômago

Ele me beijou a força enquanto apertava meus braços

Ele foi descendo a mão pela minha cintura até o zíper

Eu já estava "nua" ali

Chorando desesperada pedindo pra ele não fazer nada enquanto ele diz

-Não vai doer- e põe a mão na minha boca

O cara me pegou e me colocou em cima da mesa

Acho que daí vocês já sabem
(Não vou escrever oque aconteceu além de ser um conteúdo sensível pra alguns, eu não me sinto confortável pra escrever
Espero que entendam)

[...]

Uns 15 minutos depois daquela tortura ter terminado eu voltei pro quarto com o Borges

Eu só sabia chorar enquanto abraçava ele

Eu tava toda rocha, marcas no meu pescoço, na minha barriga, minhas pernas não aguentam muito tempo de pé

-Eu não vou aguentar isso- olho pra ele

-Calma, a gente vai sair daqui, tamo no Cpx, geral me conhece, daddy é daqui, vão reconhecer meu carro e vão falar pra ele- ele tenta me acalmar

-E se não falarem nada- solucei

-Vão falar meu amor- ele beija minha testa

Pov Borges

Imagines br- cantoresOnde as histórias ganham vida. Descobre agora