23.

4.3K 498 399
                                    


E pela primeira vez, um capítulo narrado pela nossa digníssima:

Âmbar.

—Melhor?– James pergunta, me estendendo um copo de água.

—Obrigada– agradeço, soltando um suspiro em seguida– me desculpe pelo surto, eu só....

—Está tudo bem, não devia guardar tudo para você– ele me corta, dou um sorriso sem graça, estendendo os braços para ele.

—Me abraça?– peço fazendo bico, o mesmo apenas solta um curto sorriso, me envolvendo em seus braços– eu gosto tanto de você James– murmuro com a cabeça no vão do seu pescoço.

—Eu te adoro Âmbar– responde também, me apertando mais no abraço.

—Eu só queria que eles se importassem um pouco mais comigo– murmuro segurando as lágrimas novamente.

—Eles se importam Âmbar, do jeito deles– sinto suas mãos em meus cabelos– mas seu pai e tio se importam, todos aqui nos importamos.

—Eu sei– fungo– eu tenho medo– murmuro– as jóias são parte de mim James, se ele conseguir todas pode até me matar se quiser.

—Ele não vai conseguir– responde rápidamente– nós vamos pegar as jóias de volta amor, acredite em mim– segura em meu rosto, sorrio.

—Lembra quando você me ignorava? Eu ia para casa de coração partido– ele ri, me fazendo rir também.

—Eu era um idiota– brinca.

—Muito idiota– concordo, entrando na brincadeira– eu posso dormir aqui?.

—Você sabe que pode– sorrio, lhe dando um selinho.

—Quero uma roupa sua– digo me levantando,  abrindo seu guarda roupas– gosto do cheiro delas.

—Ia adiantar eu falar não?– ironiza, dou de ombros.

—Não– respondo simples, pegando uma calça e uma blusa para vestir, franzo o cenho e mordo meu lábio, me virando para ele– nós somos mesmo um casal?.

—Não sei, se a definição de casal for você gostar muito da outra pessoa e não se relacionar com mais ninguém sim, somos um casal– responde encarando o teto,  dou risada, começando a tirar o meu vestido– nunca me envolvi em um relacionamento– desce o olhar para mim.

—Nem eu– penso um pouco, me aproximando dele– desenrosca o ziper?– peço me virando, sentindo o ziper descer– olha,  se eu não morrer, vou fazer de tudo para ficarmos juntos por muito tempo– me afasto novamente, desabotando o sutiã e o tirando, colocando a blusa e a calça em seguida– bonita mesmo depois de chorar e estar com a cara inchada?– pergunto dando uma voltinha, ele sorri, me puxando pela cintura para deu colo.

—É linda de qualquer maneira– beija a ponta do meu nariz– pronta para conhecer minha versão dos anos quarenta?.

—Eu ficaria esperto, vai que ele é mais gostoso e divertido?– brinco  passando a mão por seu cabelo– mas na verdade, isso é impossível, você só vai fazer inveja para sua versão do passado, fazendo ele esperar ansiosamente o ano que vai me conhecer– ele ri.

—Claro que sim, também devia contar que ela vai ser uma pervertida– completa, gargalho da sua fala– mas extremamente perfeita sorrindo.

—Se eu não estivesse triste, faria você me prender em uma algema e transar comigo até eu não poder andar mais– ele abre a boca indignado– mas eu estou triste, estão quero carinho– deito em seu peito, sentindo novamente suas mãos em meus cabelos.

Filha Do Trovão- Entre Dois Mundos. Onde as histórias ganham vida. Descobre agora